sexta-feira, 3 de agosto de 2007

tão perto, tão longe.
marcelo camelo, vocalista daquela banda, los hermanos, disse uma vez: intimidade é uma merda. e eu já falei algumas vezes que a convivência é algo complicado. pois bem. estava eu pensando em como esses dois conceitos (?) são ambíguos e melindrosos.

tem gente que você tem uma super convivência intensa e uma intimidade zero. tem gente que você mal convive, mas sente uma intimidade fenomenal. tem gente que não permite nem convivência nem intimidade. e claro, aqueles casos de ouro quando a convivência é massa e a intimidade, melhor ainda. e esse último caso é, bem dizer, um oásis.

muito bizarro vivermos na chamada sociedade de informação, das tecnologias e da globalização, e muitas vezes a comunicação entre duas pessoas não rolar bem, ou pior, nem sequer existir. e isso não é culpa do "mundo moderno", não... quer saber? pode até influenciar. mas esse mundo moderno aí me fez perceber que tem gente com quem nem temos a menor convivência, o menor tato, nada nada, e você pode se sentir melhor e mais confortável nessa intimidade do que com muita gente que transita perto de você.

silêncios ao vivo são especiais quando acontecem dentro de um bem-estar mútuo. mas silêncios de uma janela de msn com saber de companhia real é algo que só um sonho lúcido poderia dar.

Um comentário:

Nathalia Ciuca disse...

Que texto lindo. Tão suave, sutil e muito verdadeiro.
A unica coisa que eu sei é que voce tá encaixada no grupo do oasis: intimidade e convivencia sensacionais.
:*********