quinta-feira, 3 de julho de 2008

o quê?
o que é que a gente faz com isso tudo que a gente é?

e aí?
ou vai ou racha. e pára de racionalizar tudo.

apesar dos pesares.
apesar das notícias não tão boas que um noivo pode te trazer no final do dia, vale a pena os momentos salgados da vida só pela loucura de sair cantando na rua escura versinhos da Maria Rita.

"Não há porque chorar
Por um amor que já morreu
Deixa pra lá
Eu vou, adeus
Meu coração já se cansou de falsidade"

não conseguir não lembrar.
entre um silêncio e outro, a gente pensa como é estranho não conseguir não lembrar de alguém quando se escuta aquela música tal. tem músicas que nasceram pra cutucar a gente. e será que era bom mesmo ser completamente livre desses pensamentos nostálgicos antes?

juventude melancólica.
é impressão ou as gerações andam cada vez mais precoces, mais melancólicas, mais perturbadas?

sem respirar.
Come up to meet you,
Tell you I'm sorry
You don't know how lovely you are
I had to find you
Tell you I need you
And tell you I set you apart
Tell me your secrets
And ask me your questions
Oh let's go back to the start
Running in circles, coming tails
Heads on a silence apart
Nobody said it was easy
It's such a shame for us to part
Nobody said it was easy
No one ever said it would be this hard
Oh take me back to the start
(Coldplay)

sindrome das metades.
foi o tema da coluna dessa semana no blog do Cinema Com Rapadura. repara aqui ó.

Um comentário:

Esdras disse...

"o que é que a gente faz com isso tudo que a gente é?"


eis a pergunta que me tira o sono.