sábado, 2 de maio de 2009

é pra rir, né?
vira e mexe, eu lembro de uma frase que falei no começo da faculdade. estava discutindo o fato de Hitler ter sido interpretado de forma injusta. não que tenha sido certo matar os judeus, não, não. afinal, eles são bons com dinheiro! ele deveria ter exterminado os idiotas, imbecis e estúpidos. quem sabe assim o contigente de cidadãos deploráveis do mundo diminuisse. é, e assim, eu não seria acordada Às 6h da manhã em pleno sábado, na véspera de início de campanha promocional da empresa, para resolver pepino de uma reca de cretinos que não atentam para o que fazem em horário comercial. pronto. falei.

(a parte pra rir, na verdade, sou eu me acalmando depois ouvindo "Truly, Madly, Deeply", do Savage Garden)

o mundo sem propaganda.
como seria? um porre, penso eu. e eu estaria lascada, pois não teria emprego! nesse site aqui, a galera deixa comentários sobre a idéia. withoutadvertising.com.

adaptação.
já que rolou o amor nos tempo do cólera, agora deve rolar o amor nos tempos da gripe suína.


e há quem diga que isso tudo é apenas uma revolta tardia dos Três Porquinhos...