sábado, 10 de novembro de 2007

se joga.
é isso que se deve fazer. sempre achei. aproveitar as circunstâncias e sair da rotina sempre que possível. foi isso que eu fiz numa noite com duas amigas. pra quê mais, não é mesmo? e é impressionante como quando se está de clima bom, o resto do mundo parece cooperar um tanto mais.

"é melhor uma dúvida do que uma certeza ruim". pois é. ao invés de ir para o óbvio e para todos, pegamos o caminho oposto, que tava bem bom. e você acaba descobrindo várias coisas. cópias de Bernais, criaturas do passado que não mais afetam o presente - que é sempre uma ótima descoberta, as cantadas mais infames da atualidade e por aí vai. mas o melhor de tudo mesmo é a companhia.

com pessoas que a sintonia rola, toda hora é hora. e se livrar de certos pesos ajuda demais. ajuda tanto que você se vê capaz de enfrentar coisas que não achava que pudesse enfrentar de frente e de cara (e sóbria). tipo um cover do Los Hermanos, banda da dor-de-cotovelo-mor, com um "toca-tudo" que é cara de um antigo karma seu. mas tem sempre uma música foda pra virar seu carro-forte.

"quem é você pra me chamar aqui se nada aconteceu?
me diz, foi só amor ou medo de ficar sozinho outra vez?

cadê aquela outra mulher?
você me parecia tão bem,
a chuva já passou por aqui
eu mesma que cuidei de secar"

arrasa Redfort.
ok, super de súbito eu fui assistir ao novo filme da Meryl Streep (que eu adoro), do Robert Redfort e do tampinha do Tom Cruise (que ainda sabe atuar). e p*taquepariu. todo mundo deveria ver esse filme. absurdamente bom. pela idéia. fazia muito tempo, muito, que um filme não me surpreendia. esse conseguiu. "Leões e Cordeiros". ainda preciso digerir para falar algo sobre.


2 comentários:

isabel b. disse...

quero ser maíra suspiro quando eu crescer.

sofia disse...

não tem resto de mundo que não coopere quando se está sorrindo e tranquila.

bom dêmás. mas qual foi o caminho oposto?