domingo, 21 de dezembro de 2008

aforismos de uma noite improvisada: pires.
- "dois minutinhos no final de noite" é uma ótima categoria para as criaturas não tão dignas de se "pegar", mas que dão para o gasto em determinado momento. afinal de contas, de vez em quando é legal pegar um cara com a profundidade do tal pires, mas com uma embagalgem digna, como diria uma figura aculá, já que criaturas bacanas-inteligentes-divertidas mas semelhantes a um tumor é demais.
- a supervalorização da informação leva muita gente a querer ser culta. a maioria só chega a ser cult, com a profundidade de um pires.

wake me up.
odeio acordar com telefone tocando, mas uma ligação direto do show da Madonna NUNCA é incômodo. thanks, guys :* melhor que isso, só vê-la levando um tombinho...

infamia.
- ei, tu conhece muse?
- só muse de maracujá.

*

- sei que é péssimo. ou eu vou ficar puta ou eu vou ficar triste!
- que nada, cara, fica massa. daí tu vira quase um livro do Saramago. "Memórias de Minhas Putas Tristes".
- né do García não?
- whatever. tem puta e triste no meio!


impulsividade não é desculpa.
numa mesa de bar, uma amiga boêmia discutiu comigo que determinado fato deveria ser perdoado, porque foi patrocinado, talvez, por impulsividade. ok. impulsividade parece que virou desculpa para gente desequilibrada e egoista. logo, para mim, não cola. eu sou impulsiva e não uso essa desculpa para ser cretina. são duas coisas diferentes. arque com as suas consequencias, ora diabos.

Um comentário:

Esdras disse...

Será que se eu não conhecesse Muse, eu faria uma piada tão ruim assim? Fico questionando meus próprios limites...